sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Ação

Bagwan Shree Rajneesh afirma que a maior parte da humanidade está, neste momento, com sua energia adormecida. Ninguém acredita no imenso potencial que tem, e este potencial termina sem uso.Sabemos que tudo que não é utilizado acaba por perder suas qualidades.

Um carro enferruja quando fica durante muito tempo na garagem. Os músculos sem exercício atrofiam. A energia sexual sem uso acaba por desaparecer completamente.Rajneesh conclui que grande parte de nossa impotência diante da vida vem de conflitos desnecessários.

Mesmo que tenhamos dúvidas, devemos agir.Na pior das hipóteses, vamos acrescentar uma derrota ao nosso currículo – e ela não irá nos causar nenhum transtorno. Muito pelo contrário, teremos orgulho de nossa coragem.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Efemeridade




...a natureza tênue e pouco confiável da realidade condicionada, sempre em mutação, que nós chamamos de vida.
Nossos corpos tem uma vida útil limitada, são impermanentes e mutáveis. Isto não é um dogma religioso, é apenas a forma como as coisas são. Sendo efêmeros, nossos corpos terminam sendo pouco satisfatórios. Quem pode obter a realização duradoura de um mero corpo, com simples experiências sensórias? Até mesmo as experiências do melhor e mais apurado dos corpos são passageiras e efêmeras, deixando atrás de si o desejo por mais.
Nossos sentimentos certamente são efêmeros, e também nossas percepções. O mesmo se aplica às nossas intenções. Os estados de conciência mudam o tempo todo. Na verdade, nós somos uma obra em andamento. Quer gostemos disso quer não, nunca permanecemos iguais. Lembre-se do filósofo grego Heráclito, que disse que "não se pode entrar duas vezes no mesmo rio". Cada um de nós é como um rio, cujas águas estão em perene mutação. Os ocidentais uasm a palavra "mente" como uma definição básica do eu. "Penso logo existo" Mas o budismo mostra que voce não é o que pensa; como o clima, aquilo se pensa é imprevisível e sujeito a mudanças. Devido a este fato, a mente não treinada também é essencialmente não confiável. Os pensamentos e sentimentos não tem durabilidade. Isto é um fato da existência condicionada convencional. Além do mais, o que e que é voce, quando não está pensando naquele breve instante entre dois pensamentos? Será que cessamos de existir intermitentemente ?
Por ouro lado, a nossa natureza búdica inata e inefável não é impermanente, não muda. Esta luz interna é ilimitada, desimpedida e imaculada. Pode-se confiar nela, pode-se contar com ela. É perfeita, inerentemente sábia, calorosa, livre, completa e sem começo. Realizar este núcleo luminoso, informe e intangível é aquilo que chamamos de iluminação.

domingo, 21 de setembro de 2008

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana


















DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana
.

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.

'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

'Paralítico' é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

'Diabético' é quem não consegue ser doce.

'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

'Miseráveis' são todos que não conseguem falar com Deus.

A amizade é um amor que nunca morre.


sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Renascimento Aqui e Agora

...
O renascimento de pessoas não se aplica somente a uma vida após a outra. Também significa aqui e agora, um renascimento momento após momento. Cada vez que exalamos é como se fosse uma pequena morte e, consequentemente, renascemos a cada segundo. Toda vez que passamos por uma transformação, a menor que seja, e por mudança de vida, renascemos. Temos a oportunidade de nos reinventar continuamente. E é o que fazemos. Todas as células do nosso corpo mudam a cada sete anos. Não estou inventando isto agora, é um fato científico. Nossa mente está e constante mudança. estamos todos em construção, como gosto de dizer, com possibilidades praticamente infinitas. 
...
Em todas as vidas nos deparamos com uma miríade de oportunidades de renascimento e denovos começos gloriosos. Quanto mais nos aprofundamos no momento presente, menos resistimos ao fluxo e refluxo da mudança e da evolução. 
...
Compreender o verdadeiro significado do maravilhoso conceito do renascimento permite-nos aceitar a inevitabilidade da mudança. Ensina-nos a abrir mão daquelas coisas às quais não podemos nos agarar - em sentido mais amplo, nosso próprio corpo; em sentido mais restrito, o sabor delicioso de uma sobremesa suntuosa; e, de maneira bem signficativa, a convicção de que podemos controlar o incontrolável. Essa aplicação prática do renascimento fortalece a nossa intenção de viver o presente com ética, verdade e alegria, com o conhecimento de que tudo se recicla e renasce. (Lama Surya Das)

Nascer duas vezes não é mais surpreendente do que nascer uma vez. (Voltaire)
video

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Simplicidade

Quando renunciamos ou abandonamos o que é irrelevante, resta-nos o essencial, que é impossível perder. Quando abrimos mão do apego ao ego, aliviamos nossa carga e descobrimos quem realmente somos. Essa é a magia da simplicidade.
Esta abordagem está no âmago de todos os ensinamentos budistas.
Todos concordamos: a simplicidade é bela; a simplicidade é espiritual; a simplicidade é uma benção. A simplicidade é o que desejamos. Menos é decididamente mais. Vemos essa sabedoria criar vida na elegância estética do budismo zen. No zen, por exemplo, a meditação é chamada de "Zazen", simplesmente sentar-se. Mas o verdadeiro significado de Zazen é permanecer no momento e simplesmente estar. Abandonar os pensamentos, os movimentos e os discursos supérfluos. Simplesmente estar. Pura presença.
(Lama Surya Das)

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Amor e Sinceridade


     Antes de a morte chegar, lembre-se de uma coisa: é preciso viver o amor antes de a morte acontecer. Do contrário, você terá vivido em vão e toda a sua vida terá sido fútil, um deserto. Antes de a morte chegar, tenha certeza de que o amor aconteceu. Mas isso só é possível com a verdade. Portanto, seja verdadeiro. Arrisque tudo pela verdade e nunca arrisque a verdade por nada mais. Deixe que esta seja a lei fundamental: mesmo que eu tenha de sacrificar a mim mesmo, à minha vida, vou fazer esse sacrifício pela verdade; mas a verdade eu não sacrificarei por nada. E você sentirá uma imensa felicidade, uma bênção inimaginável cairá sobre você.
     Se você for sincero, tudo o mais se tornará possível. Se você for falso - só uma fachada, uma pintura, um rosto, uma máscara - nada será possível. Porque, como falso, apenas o falso acontece, e com a verdade, só a verdade. (Osho)


Arquivo do blog